Alto Douro Vinhateiro

Foi a primeira região vinícola demarcada e regulamentada no Mundo, em 1756.
Elevada a património mundial da UNESCO, em 2001.

Nada é ao acaso

A Quinta da Foz

É constituída por 22 Há, de vinhas velhas e olival, com média de idades acima dos 80 anos, plantadas em solos xistosos, com uma cota máxima de 250m de altitude.

Para garantir o melhor aproveitamento do terreno e a melhor exposição solar, as encostas íngremes da Quinta da Foz, com declives que ultrapassam os 25% em algumas zonas, foram moldadas, para implantar as videiras, em três formas diferentes: socalcos, patamares tradicionais e vinha ao alto em encosta.

Ao longo de séculos de cultivo com técnicas tradicionais, os durienses descobriram formas únicas de plantar a sua vinha, ao tornar a rocha á superfície do solo arável. Por sua vez, o xisto garante e controla a temperatura, criando, assim, o microclima único do Douro para o desenvolvimento da videira e das raízes. A produção total das vinhas é de classificação A, o que faz com que os vinhos produzidos na Quinta da Foz, sejam de elevada qualidade. Estão plantadas mais de 30 variedades na Quinta da Foz, sendo as castas predominantes a Touriga Nacional, Touriga Franca e a Tinta Roriz. Na vinificação, a tradição associa-se à inovação, usando técnicas sofisticadas aliadas à pisa a pé em lagares de granito a uma temperatura controlada.

São estas condições todas, que juntas, fazem os grandes vinhos da Quinta da Foz.

Passado

Adega tradicional desde 1872.

Uma Quinta tradicional desde 1872. A Quinta da Foz foi edificada por D. Luís Borges Beleza de Andrade entre 1796 e 1810, mas foi em 1872 que esta propriedade foi fundada pela família Cálem após a sua aquisição.

Esteve na posse da família Cálem até finais de 2010.

Presente

Uma paixão, duas regiões.

Em 2014, Filipe Ferreira, um jovem Enólogo com uma quinta no Dão, vê no potencial desta Quinta emblemática do Douro, a oportunidade para produzir grandes vinhos marcados pelas características naturais do Douro, e pela experiência a fazer os vinhos de perfil complexo no Dão.

Desde esse momento a sua estratégia é valorizar o enorme potencial da Quinta da Foz, e, ao mesmo tempo, recuperar o prestígio e notoriedade da marca, cruzando saberes que se reforçam:  a frescura e modernidade de uma jovem equipa com a sabedoria e tradição das pessoas que vivem e trabalham na Quinta da Foz desde o tempo do “Doutor”.

Futuro

Um projeto, grandes vinhos.

O desafio assumido, passa por posicionar os nossos vinhos como uma referência de qualidade na viticultura tradicional, focados na identidade específica de cada parcela do terroir da Quinta da Foz

Equipa

Grandes vinhos, uma garnde Equipa

Em todo o lado, em todo o mundo, são as Pessoas que fazem a diferença.
Desde a viticultura à colheita, tratando das videiras com as suas próprias mãos, à transformação e criação de lotes, garantindo controlo e rigor, à comunicação e à venda valorizando o prestígio e notoriedade da marca.
Foi em 1990, quando o meu pai comprou uma Quinta no Dão, que, ao apaixonar-me pela beleza das vinhas todas alinhadas, a perder de vista, decidi ser enólogo. Ao crescer no seio de uma família de forte espírito visionário e inovador, a única condição imposta pelo meu pai foi fazer o curso de Engenheiro e só depois o de Enologia. Começámos a produzir os nossos vinhos no Dão em 2010, na Quinta do Covão, e levámos para a região o cultivo de vinhas em socalcos nas encostas da Serra da Estrela. Como amante da riqueza natural dos vinhos do Douro e apaixonado pela complexidade do perfil dos vinhos do Dão, procurei associar e cruzar saberes para criar grandes vinhos, ainda mais ricos da identidade do terroir. Em 2014 surge a oportunidade de investir no Douro. A Quinta da Foz com todo o seu potencial, fortaleceu a minha paixão pelos vinhos. Esta paixão traz-me muitas alegrias, mas implica muitos sacrifícios. Todos os anos realizam-se investimentos para responder ao crescente mercado, desde na requalificação das vinhas à renovação da cave de barricas, para garantir a qualidade dos nossos vinhos. Cada colheita só é possível graças ao trabalho dedicado das equipas. Do trabalho nas vinhas à presença em Feiras Internacionais, todos são responsáveis pelo crescimento constante deste projeto.

Filipe Ferreira

Enólogo, Administrador.

António Narciso

Enologia, Viticultura

Carlos Queirós

Marketing, Comercial

Cristiano Castro

Enoturismo

MOBILE

Alto Douro Vinhateiro

Foi a primeira região vinícola demarcada e regulamentada no Mundo, em 1756.
Elevada a património mundial da UNESCO, em 2001.

Nada é ao acaso

A Quinta da Foz

É constituída por 22 Há, de vinhas velhas e olival, com média de idades acima dos 80 anos, plantadas em solos xistosos, com uma cota máxima de 250m de altitude.

Para garantir o melhor aproveitamento do terreno e a melhor exposição solar, as encostas íngremes da Quinta da Foz, com declives que ultrapassam os 25% em algumas zonas, foram moldadas, para implantar as videiras, em três formas diferentes: socalcos, patamares tradicionais e vinha ao alto em encosta.

Ao longo de séculos de cultivo com técnicas tradicionais, os durienses descobriram formas únicas de plantar a sua vinha, ao tornar a rocha á superfície do solo arável. Por sua vez, o xisto garante e controla a temperatura, criando, assim, o microclima único do Douro para o desenvolvimento da videira e das raízes. A produção total das vinhas é de classificação A, o que faz com que os vinhos produzidos na Quinta da Foz, sejam de elevada qualidade. Estão plantadas mais de 30 variedades na Quinta da Foz, sendo as castas predominantes a Touriga Nacional, Touriga Franca e a Tinta Roriz. Na vinificação, a tradição associa-se à inovação, usando técnicas sofisticadas aliadas à pisa a pé em lagares de granito a uma temperatura controlada.

São estas condições todas, que juntas, fazem os grandes vinhos da Quinta da Foz.

Passado

Adega tradicional desde 1872.

Uma Quinta tradicional desde 1872. A Quinta da Foz foi edificada por D. Luís Borges Beleza de Andrade entre 1796 e 1810, mas foi em 1872 que esta propriedade foi fundada pela família Cálem após a sua aquisição.

Esteve na posse da família Cálem até finais de 2010.

Presente

Uma paixão, duas regiões.

Em 2014, Filipe Ferreira, um jovem Enólogo com uma quinta no Dão, vê no potencial desta Quinta emblemática do Douro, a oportunidade para produzir grandes vinhos marcados pelas características naturais do Douro, e pela experiência a fazer os vinhos de perfil complexo no Dão.

Desde esse momento a sua estratégia é valorizar o enorme potencial da Quinta da Foz, e, ao mesmo tempo, recuperar o prestígio e notoriedade da marca, cruzando saberes que se reforçam:  a frescura e modernidade de uma jovem equipa com a sabedoria e tradição das pessoas que vivem e trabalham na Quinta da Foz desde o tempo do “Doutor”.

Futuro

Um projeto, grandes vinhos.

O desafio assumido, passa por posicionar os nossos vinhos como uma referência de qualidade na viticultura tradicional, focados na identidade específica de cada parcela do terroir da Quinta da Foz

Equipa

Grandes vinhos, uma garnde Equipa

Em todo o lado, em todo o mundo, são as Pessoas que fazem a diferença.
Desde a viticultura à colheita, tratando das videiras com as suas próprias mãos, à transformação e criação de lotes, garantindo controlo e rigor, à comunicação e à venda valorizando o prestígio e notoriedade da marca.
Foi em 1990, quando o meu pai comprou uma Quinta no Dão, que, ao apaixonar-me pela beleza das vinhas todas alinhadas, a perder de vista, decidi ser enólogo. Ao crescer no seio de uma família de forte espírito visionário e inovador, a única condição imposta pelo meu pai foi fazer o curso de Engenheiro e só depois o de Enologia. Começámos a produzir os nossos vinhos no Dão em 2010, na Quinta do Covão, e levámos para a região o cultivo de vinhas em socalcos nas encostas da Serra da Estrela. Como amante da riqueza natural dos vinhos do Douro e apaixonado pela complexidade do perfil dos vinhos do Dão, procurei associar e cruzar saberes para criar grandes vinhos, ainda mais ricos da identidade do terroir. Em 2014 surge a oportunidade de investir no Douro. A Quinta da Foz com todo o seu potencial, fortaleceu a minha paixão pelos vinhos. Esta paixão traz-me muitas alegrias, mas implica muitos sacrifícios. Todos os anos realizam-se investimentos para responder ao crescente mercado, desde na requalificação das vinhas à renovação da cave de barricas, para garantir a qualidade dos nossos vinhos. Cada colheita só é possível graças ao trabalho dedicado das equipas. Do trabalho nas vinhas à presença em Feiras Internacionais, todos são responsáveis pelo crescimento constante deste projeto.

Filipe Ferreira

Enólogo, Administrador.

António Narciso

Enologia, Viticultura

Carlos Queirós

Marketing, Comercial

Cristiano Castro

Enoturismo

TABLET

Alto Douro Vinhateiro

Foi a primeira região vinícola demarcada e regulamentada no Mundo, em 1756.
Elevada a património mundial da UNESCO, em 2001.

Nada é ao acaso

A Quinta da Foz

É constituída por 22 Há, de vinhas velhas e olival, com média de idades acima dos 80 anos, plantadas em solos xistosos, com uma cota máxima de 250m de altitude.

Para garantir o melhor aproveitamento do terreno e a melhor exposição solar, as encostas íngremes da Quinta da Foz, com declives que ultrapassam os 25% em algumas zonas, foram moldadas, para implantar as videiras, em três formas diferentes: socalcos, patamares tradicionais e vinha ao alto em encosta.

Ao longo de séculos de cultivo com técnicas tradicionais, os durienses descobriram formas únicas de plantar a sua vinha, ao tornar a rocha á superfície do solo arável. Por sua vez, o xisto garante e controla a temperatura, criando, assim, o microclima único do Douro para o desenvolvimento da videira e das raízes. A produção total das vinhas é de classificação A, o que faz com que os vinhos produzidos na Quinta da Foz, sejam de elevada qualidade. Estão plantadas mais de 30 variedades na Quinta da Foz, sendo as castas predominantes a Touriga Nacional, Touriga Franca e a Tinta Roriz. Na vinificação, a tradição associa-se à inovação, usando técnicas sofisticadas aliadas à pisa a pé em lagares de granito a uma temperatura controlada.

São estas condições todas, que juntas, fazem os grandes vinhos da Quinta da Foz.

Passado

Adega tradicional desde 1872.

Uma Quinta tradicional desde 1872. A Quinta da Foz foi edificada por D. Luís Borges Beleza de Andrade entre 1796 e 1810, mas foi em 1872 que esta propriedade foi fundada pela família Cálem após a sua aquisição.

Esteve na posse da família Cálem até finais de 2010.

Presente

Uma paixão, duas regiões.

Em 2014, Filipe Ferreira, um jovem Enólogo com uma quinta no Dão, vê no potencial desta Quinta emblemática do Douro, a oportunidade para produzir grandes vinhos marcados pelas características naturais do Douro, e pela experiência a fazer os vinhos de perfil complexo no Dão.

Desde esse momento a sua estratégia é valorizar o enorme potencial da Quinta da Foz, e, ao mesmo tempo, recuperar o prestígio e notoriedade da marca, cruzando saberes que se reforçam:  a frescura e modernidade de uma jovem equipa com a sabedoria e tradição das pessoas que vivem e trabalham na Quinta da Foz desde o tempo do “Doutor”.

Futuro

Um projeto, grandes vinhos.

O desafio assumido, passa por posicionar os nossos vinhos como uma referência de qualidade na viticultura tradicional, focados na identidade específica de cada parcela do terroir da Quinta da Foz

Equipa

Grandes vinhos, uma garnde Equipa

Em todo o lado, em todo o mundo, são as Pessoas que fazem a diferença.
Desde a viticultura à colheita, tratando das videiras com as suas próprias mãos, à transformação e criação de lotes, garantindo controlo e rigor, à comunicação e à venda valorizando o prestígio e notoriedade da marca.
Foi em 1990, quando o meu pai comprou uma Quinta no Dão, que, ao apaixonar-me pela beleza das vinhas todas alinhadas, a perder de vista, decidi ser enólogo. Ao crescer no seio de uma família de forte espírito visionário e inovador, a única condição imposta pelo meu pai foi fazer o curso de Engenheiro e só depois o de Enologia. Começámos a produzir os nossos vinhos no Dão em 2010, na Quinta do Covão, e levámos para a região o cultivo de vinhas em socalcos nas encostas da Serra da Estrela. Como amante da riqueza natural dos vinhos do Douro e apaixonado pela complexidade do perfil dos vinhos do Dão, procurei associar e cruzar saberes para criar grandes vinhos, ainda mais ricos da identidade do terroir. Em 2014 surge a oportunidade de investir no Douro. A Quinta da Foz com todo o seu potencial, fortaleceu a minha paixão pelos vinhos. Esta paixão traz-me muitas alegrias, mas implica muitos sacrifícios. Todos os anos realizam-se investimentos para responder ao crescente mercado, desde na requalificação das vinhas à renovação da cave de barricas, para garantir a qualidade dos nossos vinhos. Cada colheita só é possível graças ao trabalho dedicado das equipas. Do trabalho nas vinhas à presença em Feiras Internacionais, todos são responsáveis pelo crescimento constante deste projeto.

Filipe Ferreira

Enólogo, Administrador.

António Narciso

Enologia, Viticultura

Carlos Queirós

Marketing, Comercial

Cristiano Castro

Enoturismo